Página Inicial
Cadastre-se

Receba nossas novidades em seu e-mail:

O que você Procura?

Passos fundamentais para um projeto

14/05/2012 Capitulo 5º Apostila medição

Passos fundamentais para um projeto

Passos fundamentais para um projeto


O projetista tem que ser bom observador, teoricamente seria dizer que ele tem que fazer a leitura da obra.
Avaliar em que local será instalado o vidro, em que tipo de substrato será fixado as ferragens ou outros elementos de fixação.
Nem tudo que parece realmente é.
Exemplo: visualmente é difícil diferenciar se o teto é de laje (concreto) ou placa de gesso!
Se a parede é de alvenaria ou gesso cartonado.
Só olhando é quase impossível então se faz necessário o contato com o substrato as vezes apenas com uma batida no local já da para perceber.
Quase sempre o gesso em placa ou cartonado é oco.
Mas as vezes nem olhando nem batendo dá para se saber do que realmente é feito o substrato.
Uma parede pode ser de tijolinho maciço ou perfurado ou bloco de cimento que geralmente também é oco.
Se estiverem rebocado será muito difícil ter uma definição correta.
O ideal é perguntar ao mestre de obra caso ainda esteja em obras, ou para o proprietário, já se não existir nem pedreiro o proprietário não souber anote e mencione que não foi identificado o tipo de substrato, para que o montador vá preparado com os tipos mais tradicionais de fixação.


 
Bucha para gesso, para oco e para alvenaria.
Dependendo do tipo de montagem que se pretende realizar é importante que o projetista saiba exatamente o tipo de substrato que existe ali.
Todas fixações tem que ser caprichadas mas existem situações que exigem uma fixação mais rigorosa,exemplo:

 

 

Neste caso acima temos um sistema onde o cliente exige uma abertura mais ampla que a tradicional 2 portas/2 fixas.
Perceba na figura abaixo que ao invés de abrir metade do vão ele terá abertura de 2 terços ,porém por esse sistema ter suas roldanas em cima, podemos dizer que as portas ficam ‘’penduradas’’e não apoiadas no chão.

 


 

Neste caso mesmo tendo utilizado um tubo de alumínio para auxiliar na estrutura do sistema foi necessário uma fixação auxiliar para que quando as portas estivessem todas fechadas o peso não as puxassem para baixo.
O projetista tem que visualizar o problema em loco (na obra)
Neste caso o sistema deu certo devido a se ter em cima uma viga de concreto usinado que possibilita a fixação da barra rosqueada por meio de buchas de aço.
Essa viga por ser uma viga estrutural agüentaria 200 ou mais vezes o peso proporcionado pelos vidros.


 

Mas se caso fosse outro material como bloco ou gesso a solução teria que ser outra.
Barras rosqueadas e buchas de aço não são materiais encontrados facilmente numa caixa de instaladores e por isso é importante tudo estar discriminado em projeto.
Mais não é só isso,para se colocar a bucha no concreto é necessário brocas e chaves apropriadas coisa que nem todo instalador costuma carregar.
Quando se menciona os detalhes evita-se que o montador retorne sem instalar os vidros ou que tenha que ficar correndo atrás das ferramentas atrasando a montagem.
E é função do projetista evitar ao máximo que a equipe de montagem tenha contratempos!

Repare também no desenho acima que existe um detalhamento a esquerda que demonstra exatamente que a barra rosqueada ficará no eixo do perfil u ou seja ficará entre vidros, diminuindo bastante o impacto estético da estrutura.
Temos que ter sempre em mente que a obra não é uma matemática exata.
Acontecem coisas que só saberemos que pode acontecer quando estiverem acontecendo, mas cabe ao projetista relatar tudo o que estiver visível.

.

 

Facilmente este detalhe passaria despercebido a qualquer um que olhe apenas por olhar.
Mas o projetista tem que ter olhar atento para detectar qualquer coisa que não esteja de acordo.
Neste caso todo o projeto foi modificado devido essa trinca que se encontrava em 1 dos 8 vãos existentes na obra.
Depois de mostrado para o Engenheiro decidiram reforçar a parte superior com tubos de ferro apoiados verticalmente na base inferior onde se encontra uma viga de concreto usinado.
Algo que modificou as medidas e também todo sistema de fixação do vidro.



 


Mas e quando o projetista não é o medidor e não tem nenhum contato com a obra?
Com certeza pode acontecer que o projetista não tenha tido contato real com a obra.
Pode ser que o Vendedor ou o próprio cliente te traga as medidas!
Se o caso for esse, exija que o medidor tenha o mesmo olhar, e peça que ele fotografe os vãos a que se pretende instalar os vidros.
Certa vez tive que retornar a obra devido a um detalhe que não tinha relatado, depois disso passei a fotografar os vãos numa visão individual e numa visão panorâmica.
A individual do vão serve para detalhar o local isolado, já a panorâmica serve para visualizar o conjunto.
O projetista tem que deixar tudo harmonioso, com um padrão de medidas e distribuições.

 Então procure ter uma câmera ou celulares que tirem fotos isso te dá mais segurança na hora de projetar e se caso aparecer alguma dúvida na hora do projeto consulte suas fotos com certeza elas te ajudarão.
Quando estiver tirando as medidas na obra e for anotar no papel não economize folha, ’’papel é mais barato que qualquer peça de vidro ou viagem extra.’’
Distribua organizadamente as medidas e não anote de qualquer jeito, mesmo que a correria diária incentive isso, não caia nessa armadilha!
Quando se trata de projeto e medição qualquer vacilo ou garrancho põem tudo a perder.
Um fato importante e que quando se esta medindo tudo parece simples e familiar porém pode ser que você não projete a obra logo de cara, pode ser que você só volte a trabalhar nele dias, semanas ou meses, será que você ainda vai lembrar de todos os detalhes?

 Muitos medidores/projetistas tem pranchetas onde as folhas ficam soltas.
Eu particularmente prefiro um caderno tipo espiral pois facilita a marcação a anotação de dados deixando sempre a seqüencia certa e evita que algumas folhas se percam em meio a outros papéis.
O caderno também te dá a possibilidade de ter sempre consigo as anotações antigas caso venha precisar resgatar alguma lembrança ou medida.
Eu já presenciei a perda de 3 dias de trabalho devido a perda da seqüencia de uma anotação.

Mas o projetista /medidor não coleta só medidas!
Uma vez fui medir um espelho na cobertura de um prédio.
O cliente queria um espelho enorme dava quase uma chapa inteira,
Chegando ao local depois de ter ouvido o que o cliente queria peguei minhas ferramentas e fui tirar as medidas.
Tirei o nível e o prumo, fiz algumas observações devido as condições que teria que estar a parede para receber o espelho e orientei o cliente devido as condições que deveria estar sua parede para receber o espelho.
Depois de uma caprichada medição fui embora e fiz o projeto de corte e enviei ao setor encarregado pela produção.
Passou uma semana o meu telefone toca e recebo a notícia que o espelho não passava nem na garagem do prédio muito menos no elevador, escada sem chance! Resultado levei um prejuízo e tive que convencer o Cliente a ficar com o espelho recortado, ele não ficou feliz e eu muito menos por ouvir aquelas palavras: mas por que você não disse isso antes? Se eu soubesse teríamos achado uma outra solução!
Nunca se esqueçam de analisar os detalhes que rodeiam a obra.
Como lugares de acesso, possibilidade de manuseio, horário que pode ser feito o trabalho, nome do responsável da obra se possível o telefone.

  Quando digo responsável da obra não é o contratante ou proprietário eu digo do responsável pela execução da obra pois pode acontecer do proprietário não ser presente na obra e muitas vezes ele não tem noção de obra e fala pelo telefone: pode medir que está tudo pronto.
Ai você vai mede tudo como está e depois quando vai instalar aparece um revestimento diferente,um brise ou uma pedra decorativa, madeira ou outra coisa qualquer que venha interferir na sua medida.
Nesse caso a fotográfia de quando foi tirado a medida também te ajuda.

Faça seu Comentário
Voltar

© 2019 Setor Vidreiro - Todos os direitos reservados