Página Inicial
Cadastre-se

Receba nossas novidades em seu e-mail:

O que você Procura?

Reciclagem de Vidro

02/05/2013

Reciclagem de Vidro

Reciclagem de Vidro

 

O principal componente do vidro é a sílica, é possível fazer vidro só com a fusão da sílica. Boa parte dessas matérias primas é importada ou provém de jazidas em franco esgotamento.

O vidro é uma mistura de areia, barrilha, calcário, feldspato e aditivos que, derretidos a cerca de 1.550°C, formam uma massa semi-líquida que dá origem a embalagens ou a vidros planos. O principal componente do vidro é a sílica, é possível fazer vidro só com a fusão da sílica. Boa parte dessas matérias primas é importada ou provém de jazidas em franco esgotamento. Além destas substâncias, existem pequenas quantidades de outras impurezas derivadas da matéria-prima, por exemplo, óxido de ferro, além de outras que podem ser adicionadas intencionalmente de acordo com a qualidade do vidro, por exemplo, corantes (metais como o ferro, cobalto, cromo e manganês).

 

Existem vários tipos de vidros, dentre eles:

·        Vidro soda-cal (vidro comum): 90% do vidro fabricado.

·        Vidro borosilicato (contém óxido de boro). Ex.: Pyrex.

·        Vidro de chumbo (contém óxido de chumbo). Ex.: Cristal.

·       Vidros especiais (fórmulas especiais).

·        A temperatura de fusão do vidro varia com o tipo.

Na reciclagem do vidro, o caco funciona como matéria-prima já balanceada, podendo substituir o feldspato que tem função fundente, pois o caco precisa de menos temperatura para fundir. Os cacos devem ser separados por cor (transparente marrom e verde). O vidro comum funde a uma temperatura entre 1000°C e 1200°C, enquanto que a temperatura de fusão da fabricação do vidro, a partir dos minérios, ocorre entre 1500°C e 1600°C. Nota-se assim que a fabricação do vidro a partir dos cacos economiza energia gasta na extração, beneficiamento e transporte dos minérios não utilizados. A economia de energia é a principal vantagem do processo, em termos econômicos, pois reflete na durabilidade dos fornos.

O Brasil, no entanto, só recicla 14,2% do vidro que consome o restante ficando em algum lugar na natureza por tempo indeterminado.

Faça seu Comentário
Voltar

© 2019 Setor Vidreiro - Todos os direitos reservados