Página Inicial
Cadastre-se

Receba nossas novidades em seu e-mail:

O que você Procura?

Fachada de casas e edifícios envidraçados conheça todas elas

11/04/2014 Os sistemas de fachadas mais utilizados no mundo e que também estão disponíveis no Brasil.

Fachada de casas e edifícios envidraçados conheça todas elas

Fachada de casas e edifícios envidraçados: conheça todas elas!
Apresentaremos neste post os sistemas de fachadas mais utilizados no mundo e que também estão disponíveis no Brasil.
O conceito de grandes fachadas envidraçadas teve início na década de 60

fachada cortina

Nos  anos 70,  o conceito de fachada deslanchou no Brasil. Muitos chamam esse sistema de fachada cortina, grid (grade em inglês). Muitos o denominam de fachada convencional justamente por ser o primeiro sistema a dominar o mercado brasileiro.


Como podemos observar neste sistema os perfis que emolduram os quadros de vidro ficam bastante salientes para o lado externo do prédio.

fachadas de casas

O sistema de instalação de uma fachada convencional consiste em fixar a estrutura de alumínio (colunas).



Depois, o vidro é encostado nas colunas e fixado por um perfil, para esconder os parafusos. O sistema de fixação é fixado uma capa de acabamento. 

fachadas de casas
fachadas

fachadas de casas


Mesmo sendo possível confeccionar janelas nesse tipo de sistema, podemos dizer que atualmente o sistema convencional ainda é uma ótima opção para imóveis, onde não existe a necessidade de abertura de janelas. Outro detalhe que mantém o sistema convencional na preferência de muitos construtores é que por ser um sistema mais simples ‘’porém muito eficiente’,  ele é uma excelente  solução para fachadas fixas por ser possível excluir as travessas ( estrutura horizontal), permitindo uma fachada visualmente mais limpa.

fachadas de casas
 

 pele de vidro

Principalmente em fachadas transparentes, a fachada cortina é uma ótima solução!

fachada cortina
 
O sistema convencional não se limita apenas em ser fixo, mas também pode ser integrado a portas e janelas.


Nos anos 80, surgiu um sistema que amenizava as saliências externas da estrutura do sistema convencional. Ele foi chamado de pele de vidro por proporcionar uma fachada mais lisa e sem aquelas saliências causadas pelas capas convencionais.

fachadas de casas

Outra vantagem do sistema pele de vidro é que os vidros primeiramente são encaixilhados em quadros independentes e depois inseridos na estrutura. Existem vários modelos e bitolas de estrutura para esse sistema, o que permite vencer vãos mais altos por ser estruturalmente mais resistente.


Mais um  benefício do sistema pele de vidro é a abundância de acessórios e perfis para confecção de janelas.


Por ser um sistema para estar presente desde uma pequena janela ou revestindo um enorme edifício, ele tem um mecanismo de vedação  perfeito para vencer qualquer intempéries (chuvas, ventos, entre outras), além de fornecer uma barreira sonora.
Existem muitos modelos para atender à necessidade de cada projeto específico, seja residencial, comercial ou edifícios gigantescos.       
fachadas de casas

Nos anos 90, chegou ao Brasil uma técnica que revolucionou a pele de vidro – a estrutural Glazing ou vidro exterior colado(VEC).

 

strutural glazing
 

Sabe quando olhamos aqueles prédios enormes que só aparecem os vidros sem a presença de metais moldurando as janelas da fachada?


Isso só é possível pelo sistema estrutural Glazing ou strutural glazing que, em termos de estrutura, é o mesmo da pele de vidro. O grande diferencial é que no sistema pele de vidro os vidros são fixados ao quadro do caixilho por um perfil de alumínio, cujo o lado externo da aba desse perfil fica visível também pelo lado externo da fachada.
 

O sistema structural glazing fixa os vidros por meio de colagens.

fachadas de casas

A colagem desse sistema pode ser realizada por dois produtos:
o silicone estrutural ou a fita dupla face VHB (geralmente da empresa 3M).


O processo de colagem de vidros para essa função requer muita técnica e competência do profissional, além  de uma minuciosa avaliação  da empresa fornecedora da matéria-prima para a colagem. O profissionalismo dessa atividade é muito grande.  Tanto que para comprar a fita VHB ou silicone estrutural não basta só ter dinheiro, pois a empresa que vai adquirir esse material é avaliada e treinada.


Além disso, para cada pedido de compra é feita uma avaliação do projeto, incluindo todos os dados da obra, como endereço para avaliar a incidência climática. Ainda são solicitados a amostra dos materiais usados (alumínio) e o vidro para estudar se os produtos permitem uma perfeita adesão. Apenas é fornecida a quantidade exata para aquele projeto. Ou seja, é quase impossível uma serralheria ou vidraçaria ter esse material em estoque, principalmente, a fita que passa por processo mais rigoroso de avaliação. 

fachadas de casas
     
O efeito estético desse sistema é tão bonito que a tecnologia também é inserida em casas modernas. O visual dispensa comentários.

pele de vidro
 

O próximo sistema que iremos conhecer é a soma da pele de vidro com o estrutural glazing unidos pela velocidade de construção.


Nos três sistemas observados até agora, percebemos que em todos existe a necessidade de primeiro fixar a estrutura à construção e na sequencia fixar os vidros na estrutura.

fachadas de casas

Neste sistema, estrutura e vidros são fixados simultaneamente,  porque na instalação a estrutura e os vidros já estão unidos. Daí vem o nome de: sistema unitizado.  O sistema unitizado permite maior velocidade na instalação. Além disso, proporciona uma logística no canteiro de obras mais acelerada e uma  velocidade de produção que permite os instaladores trabalhem pelo interior da construção, ficando muito pouco ou nada para ser feito pelo lado de fora do edifício.

pele de vidro


O segredo desse sistema é que a confecção dos quadros é realizada em módulos maiores com medidas exatas para serem fixados de uma laje a outra. Neste caso, uma equipe de instaladores trabalha no andar de baixo, e outra equipe no andar de cima.
 fachadas de casas

Um dos procedimentos mais importantes sobre a questão da velocidade de produção é que toda parte de confecção e colagem estrutural é feita na serralheria ‘’em terra firme’’, sem a espera do término dos acabamentos necessários na construção. Outro detalhe importante que ajuda muito é que nos outros sistemas os profissionais têm de dois a três trabalhos de fixação pelo lado externo da construção.


Nesse caso, é necessário fixar a estrutura, os quadros envidraçados e depois outros acabamentos como painéis de alumínios brizes, entre outros. No sistema unitizado, a fixação é feita em uma única etapa, pois tudo está unido antes da instalação in loco. A terceira vantagem é que os módulos são maiores e o sistema de fixação mais prático, ou seja, rende muito mais.


É evidente que mais recursos e equipamentos são necessários para trabalhar com esse sistema. Por isso, o sistema unitizado é uma solução quase que exclusiva para grandes edifícios.


Depois de pronto, o efeito visual é idêntico do sistema estrutural glazing!
Os quatro sistemas apresentados são muito semelhantes. Já o próximo é dotado de uma fixação estrutural muito peculiar.

O nome desse sistema é vidro exterior agrafado. No Brasil, é mais conhecido como Spider por suas ferragens (grampos metálicos) lembrarem a anatomia da aranha.
Em 1996, eu trabalhava para um ex-diretor da Pilkington que me chamou para assistir a um vídeo de um terremoto, provavelmente, no Japão. O vídeo era sobre o comportamento de uma fachada envidraçada de um enorme prédio que chacoalhava totalmente. Lembro-me de que a enorme fachada de vidro se comportava como uma sanfona ao ser tocada.
Parecia mais uma lona de plástico do que vidro. Nenhum peça foi quebrada, mesmo com a violência que o vidro era chacoalhado.


Como pode o vidro não ter quebrado? O pior é que a estrutura aparentemente era muito estreita tecida com um emaranhado de cabos de aço inoxidável.

Após a exibição do vídeo, ele disse: Isso é o futuro! Isso é Spider!


O sistema de vidro exterior agrafado (VEA) tem muitas configurações, mas a característica principal é que os vidros são fixados a variadas estruturas por meio de agrafos que em francês significa ‘’grampo metálico’’.

spider glass
  
Este sistema é dividido em três partes:


Grampo ou aranha: são peças rígidas em vários formatos originalmente produzidas em aço inox. No Brasil, encontramos versões de aço carbono e até de alumínio. Essas peças têm a função de conectar os vidros à estrutura.


Outro componente é a rótula. Várias unidades dela são fixadas ao vidro por meio de parafusos especiais. A rótula não é um simples parafuso. Ela tem a função de absorver as diferenças de dilatação e deformações causadas pelas forças adversas da natureza.

fachadas de casas
 

Você se lembra do prédio que balançava inteirinho sobre o efeito do terremoto?
Os vidros não foram quebradas e absorvidas pela movimentação, porque as rótulas são flexíveis e acompanham as diferentes movimentações nestes dias difíceis.
Existe também a possibilidade de rótulas fixas, quando não há necessidade de movimentação.


O terceiro elemento é a estrutura. Esse sistema se adapta a praticamente qualquer tipo de estrutura, desde cabos de aço, concreto, tubos metálicos e até mesmo estruturas de vidro.
A função básica do sistema VEC é a redução de estruturas na construção de fachadas envidraçadas.

fachadas de casas

A versatilidade e a diminuição estrutural em fachadas construídas com esse sistema permitem que enormes construções tenham aparência de vitrine.


Esse tipo de fachada conquistou muitos arquitetos nacionais e estrangeiros. Primeiro por ser adaptável a qualquer estrutura. Outro motivo é que esse sistema é o mais clean atualmente em fachadas, onde existe a ideia de transparência.

spider glass


Juntando todos os benefícios junto com a aparente simplicidade das fachada produzidas em (VEA), essa tecnologia já faz parte de muitas residências brasileiras.
fachada spider

Na minha opinião, o arquiteto acertou em cheio ao trocar o sistema de fachada proposto no projeto.

spider glass

A imagem abaixo podemos conferir como o sistema é versátil e sem poluição visual.
Repare que, apesar do sistema ser o mesmo da fachada, no fundo da residência os grampos foram instalados direto na alvenaria, e a estrutura ficou praticamente invisível.

 

fachada spider

Os sistemas apresentados são desenvolvidos para grandes fachadas que podem ser inseridos em fachadas residenciais de qualquer porte. Com um pouco mais de experiência, técnica e estruturas metálicas tubulares, os sistemas que antes só eram utilizados em pequenos vãos têm possibilitado o desenvolvimento de robustas e belas fachadas usando por exemplo perfis U ou baguetes.
  esquadrias de aluminio
Por exemplo, nessas residências a escolha foi por tubos metálicos horizontais mais próximos e nenhuma estrutura vertical.

esquadrias de aluminio
 
Nessa fachada, foi realizado um misto de posições tubulares verticais e horizontais!

fachadas residenciais

Nessa residência de alto padrão, apesar da gigantesca fachada envidraçada em forma de U, não  existe incrivelmente estrutura vertical aparente.

eaquadrias de aluminio

Nessa outra residência com tamanho reduzido, a ideia foi muito semelhante só que no formato de L.


Sistemas de esquadrias mais tradicionais com as infinidades de linhas atuais no mercado, como Inova e Gold da Alcoa, Mega da ASA, imperial da Belmetal, podem ser facilmente incorporados às fachadas com o auxílio de estruturas tubulares por exemplo:

fachadas residenciais
  Na fachada dessa residência, foi utilizada esquadrias de PVC sustentadas por tubos de alumínio e vidros do tipo vitral. Apesar das diferentes linhas, a fachada e os portões estão em perfeita harmonia. 


Outra solução muito adequada é quando a residência tem a estrutura para que os vidros sejam apenas encaixilhados.

esquadrias de aluminio

Como a casa já contém divisões estruturais na fachada, o sistema usado é o tradicional perfil U.  A beleza das fachadas não diminui, mesmo com a simplicidade da instalação.

 vidro temperado


Outro detalhe importante é que o vidro é capaz de vencer consideráveis vãos somente fixados nas bordas superiores e inferiores sem o auxílio de estruturas verticais.  Mesmo respeitando tolerâncias e normas como as da ABNT,  ótimos resultados são conquistados utilizando o vidro com pouquíssimos recursos estruturais. 


E por falar em vidro com recursos estruturais, vamos citar um vidro que foi projetado exatamente para dispensar o uso de caixilhos: o vidro U Glass ou Profilit. Ele tem o desenho em forma de U exatamente para agregar uma maior capacidade estrutural.

fachadas de casas

Quando instalado em pé, ele é mais resistente. Nas duas posições, exige o uso de perfis nas extremidades.   
 

u glass

   
Além de estrutural, esse sistema permite várias configurações de montagem:


 u glass

Quando a opção é da montagem dupla (o vidro é intercalado tanto para o lado externo quanto para o lado interno), ele  proporciona com eficiência conforto térmico e acústico, além de proporcionar relativa privacidade.

u glass

Com tantos recursos (privacidade, conforto térmico e acústico) e a facilidade para modelação de acordo com a desenho da estrutura, esse sistema é uma alternativa muito satisfatória em termos de economia. Isso porque proporciona em um único produto recursos que em outros vidros só seriam possíveis por meio de dois ou três beneficiamentos  diferentes, o que aumentaria o valor do investimento.

 

profilit glass

*Obra executada pela T2G.

Ufa! Espero que tenha sido útil para você! mas não pense que acabou clique aqui pois preparei um resumo/conclusão dessa matéria. Se precisar tirar mais alguma dúvida, com certeza temos aqui mesmo arquivado em nosso site outras matérias que te deixarão melhor informado sobre espelhos ou outros produtos derivados do vidro.
É só digitar o assunto do seu interesse em nosso buscador ou se preferir, faça um comentário que logo entraremos em contato!
 

Obrigado!

Faça seu Comentário
Voltar

© 2019 Setor Vidreiro - Todos os direitos reservados