Página Inicial
Cadastre-se

Receba nossas novidades em seu e-mail:

O que você Procura?

Pedimos licença

12/05/2012

Pedimos licença


Pedimos licença, pois a partir de hoje inicia-se uma  nova relação e queremos fazer parte da sua vida também.
Queremos que fiquem felizes com a nossa presença, assim como estamos felizes em telo como companheiros.
Sabemos que não se entra na casa das pessoas sem ser convidado!
Em primeiro lugar queremos deixar nosso muito obrigado a todos aqueles que trabalham em prol da expansão do setor vidreiro, pessoas que soam a camisa para de alguma forma  conectar-nos a tudo que acontece.
Lembro-me quando comecei a trabalhar com vidro, queria  apenas um trabalho, uma maneira de ganhar dinheiro como todo jovem de 15 anos,necessitando defender seus sonhos, firmar meu espaço,garantir o trocado das baladas de sábado o tênis Nike, o passeio no shopping com os amigos,paquerar as gatinhas e as roupas largas que minha mãe relutava em me dar, uma pela falta de condições, outra por achar horrível andar com a calça caindo,coisa de adolescente.
Todo dia cedo estava lá 6:00 da manhã,com minha inseparável companheira Tereza (minha bicicleta) com a marmita quentinha,na mochila.
-Benção mãe! Até daqui a pouco.
Aquela rotina de sempre, bate cartão, abraça a lixadeira de mão, tudo como foi ontem, espelho para dar polimento, vidro grosso para lixar, descarrega e carrega caminhão, tem vidro para jatear!,Cara isso era terrível quando tinha vidro para jatear era um pesadelo.
Vê só: era um quartinho sem janela, um capacete que pesava uns 3 quilos, a areia não era dessas que vemos hoje que parece uma farinha, era tipo um pó de ferro, tanto que o jato saia escuro, dentro do quartinho era eu o vidro a pistola, e aquele tambor com uma peneira em cima.
Há aquele tambor... Para ficar melhor tinha um gato acho que era da vizinha, imagine gato+areia resultado? É isso mesmo todo dia quando eu chegava o gato tinha me deixado um presentinho no tambor de areia.
Mas eu defendia o meu dinheirinho assim.
Raramente frequentava o escritório, mas numa das raras visitas avistei um cesto cheiro de revistas, então me acostumei a não mais dormir na hora do almoço e pegava aquelas revistas para ler.
Até que um dia peguei uma que falava sobre vidro,
Aquilo foi me envolvendo, pois eu fui percebendo o quanto era lindo aquilo que eu fazia, porque depois que os vidros saiam da empresa eu não tinha mais contato, e via apenas as portas das lojas e as vitrines do shopping, mas aquilo era maior aquilo era muito maior, me deparei com um mundo belo, e criativo, o mercado que eu estava era enorme mesmo sem sair da empresa eu pude viajar para lugares que jamais poderia ter ido, e ali eu comecei a perceber que eu podia ir mais além, que o vidro poderia me dar mais que um tênis ou um dinheirinho qualquer.
O vidro poderia me dar uma profissão e eu queria fazer parte daquele universo maravilhoso e lindo.
-Como o vidro é envolvente! Nobre, elegante e eu queria fazer parte disso.
Comprei um diamante velho de pedrinha de um vidraceiro que La trabalhava e na hora do almoço tentava tirar curvas e formas abstratas das sobras que iam para o tambor.
Adorava destacar os vidros finos, o vidraceiro cortava e eu destacava e organizava, o som da batida na quina da mesa tinha um ritmo acelerado.
Já não tinha mais medo dos cortes, o vidro já não me dava medo eu  o respeitava e fui tomando gosto por fazer aquilo.
Depois que o ajudante do montador saiu, eu fui escolhido para ir ajudar numa obra que os vidros eram enormes, e assim eu tive meu primeiro contato com os montadores, eu adorava sair, viajar, buscar ou entregar vidros em outros lugares,e nessas idas e vindas era sempre astuto para ler as revistas de vidro, antigas que ficavam nas salas de espera dos distribuidores e vidraçarias, vou confessar que algumas eu até levava pra casa para ler mais tarde.
E é por isso que eu venho dizer: MUITO OBRIGADO! 


A todas as pessoas que trabalham para disponibilizar informações sobre o nosso setor.
Obrigado “O Vidraceiro”
Obrigado “O  Vidro Plano”
Obrigado “Tecnologia e Vidro”
Obrigado “Vidro Impresso”
Obrigado “Vitrô”
Obrigado Contramarco,Esquadria  Alumínio e Cia,Téchne ,Projeto Design e tantas outras que tornam o nosso mundo mais interativo e dinâmico.
Obrigado pela dedicação, pelo empenho,pelas noites sem dormir,pela preocupação com os leitores,pelas horas que iluminaram nossa escuridão.
O que queremos aqui não é ficar passando o pano nem fazer a política da boa vizinhança.
Nossa real intenção e parabenizar a todos os profissionais que trabalham com a comunicação,pois sem ela não teríamos saído das cavernas,sem a comunicação o mundo não evolui,os músicos os artistas plásticos não tem no que se inspirar,sem comunicação o mundo se torna frio,as empresas quebram e eu talvez ainda estaria lixando vidro se é que existiria vidro.
Obrigado a vocês que organizam feiras e eventos mesmo sabendo que é uma ação comercial e com fins lucrativos,mas sei também que nem só de dinheiro vivem as pessoas,os relacionamentos a união,a movimentação e amizades.
Sabemos que os esforços ultrapassam o caráter de negócio e atingem um esfera de inclusão onde todos são beneficiados.
Sabemos que não é só dinheiro é muito mais que isso! É a geração de conhecimento e democratização onde os donos se misturam com empregados ,fornecedores,concorrentes.
Onde todos se reúnem ou pelo menos tem direito de se reunir num mesmo ambiente de crescimento e confraternização.
 
 

Parabéns e obrigado pois de alguma forma todos vocês nos inspiraram e nos motivaram.
E com certeza continuarão  nos inspirando e motivando.   
 

Faça seu Comentário
Voltar

© 2019 Setor Vidreiro - Todos os direitos reservados