logo circular fundo branco 1.png

Contate-nos

(12) 3958-2063

Dúvidas? Escreva para nós clicando aqui ou nos envie um e-mail.

O Setor Vidreiro visa fortalecer a expansão do mercado vidreiro através do conhecimento.

  • facebook branco
  • youtube branco
  • insta branco_edited

© 2019 por SETOR VIDREIRO. Todos os direitos reservados.

Você cola espelho com silicone?

Hoje vamos conversar sobre a colagem de espelhos com silicone. E por isso quero te perguntar: será que você tem utilizado o silicone correto nos seus trabalhos? Será que o que está usando é de fato silicone?

Quando nos deparamos com concorrentes que fazem um preço muito mais barato do que o nosso em um mesmo envidraçamento, logo de cara temos a certeza de que ele não vai utilizar um material de primeira qualidade ou pior, muitas vezes ele nem saberá realizar corretamente o serviço, podendo nem conseguir finaliza-lo.


Com os nossos insumos não é diferente. Se encontrarmos no mercado um silicone que aparentemente tem a mesma propriedades do outro, porém custa R$ 6,00, enquanto o outro custa R$ 30,00, é perceptível que há algo de errado.


A questão é que muitos dos silicones baratos que encontramos por aí levam tão pouco silicone em sua composição que não deveriam nem receber esse nome. O que acontece é que muitas empresas diminuem a sílica e a substituem por outros materiais menos nobres, como solventes, plastificantes e talcos, impactando diretamente no nosso trabalho.


Imagina o prejuízo e o retrabalho se um espelho colado com um silicone desses cai, ou um envidraçamento vaza? Simplesmente porque o silicone barato continha solvente, esse solvente evaporou fazendo o silicone diminuir e consequentemente soltar do substrato. Ou ainda porque o plastificante que foi adicionado a composição desse "silicone" foi atingido pela radiação ultra violeta, e por isso soltou do perfil ou do substrato.


Ou seja, o barato saiu muito, mas muito caro!


Agora que você já se conscientizou sobre a importância de um bom silicone (e se você for consumidor, a importância de se contratar um bom profissional), vamos falar da colagem de espelhos com selantes adesivos.



SUBSTRATO:

O primeiro fator que deve ser analisado é as condições e o tipo de substrato que vai receber o espelho. O silicone, em comparação com a fita dupla-face, tem uma maior capacidade de se adequar a superfícies irregulares. Um exemplo seria as paredes com textura, já que nesse caso, devido as "ranhuras" contidas nessa superfície, a fita dupla-face ficaria com bolhas, o que a faria ter uma área de adesão menor, enquanto o silicone preencheria tais deformidades e deixaria a superfície aplainada.



SELANTES E SILICONES ADEQUADOS:

É importante destacar que o adesivo/selante mais adequado para colar espelhos em paredes não é o silicone, mas sim o MS Polymer, ou Polímero MS!


O MS Polymer são selantes a base de polímeros híbridos, que são formulados para fornecer as melhores propriedades de duas ou três famílias de selantes poliméricos, reduzindo e até eliminando suas fraquezas inerentes individuais. Esse selante é formulado para unir a resistência do PU, ou poliuretano, com a resistência ao desgaste do silicone, visando alto desempenho em questões de segurança e credibilidade.


Veja na tabela abaixo, com notas de 0 a 10, a comparação entre MS Polymer e silicone:



A Alpatechno trabalha com dois tipos de selantes: o Obra-Pró Espelho, que é um silicone neutro incolor apropriado para o espelho, e o Obra-Pró Fixa Espelho, que é um polímero de MS na cor branca, que possui como característica principal uma ancoragem inicial maior, além de ser mais adesivo e menos flexível quando comparado a outros silicones. Outra característica singular do obra-pró fixa espelho é que ele adere em superfícies úmidas.


Em média, um filete de 10 centímetros de comprimento por 10 mm de largura e 3 mm de espessura suporta 1kg de espelho. A sua resistência aproximada a tração é de aproximadamente 1,2 mpa/cm e a sua resistência ao cisalhamento (corte) é de aproximadamente 20 Kgf/cm².



CALÇOS E ANCORAGEM:

Conforme já conversamos nos vídeos anteriores, é necessário deixar um espaço entre o costado do espelho e a parede de no mínimo 3 mm para permitir a ventilação atrás do espelho. Mas lembra do que falei sobre o silicone se adequar à superfície? Pois bem. É importante alertar de que quando o espelho for colado, o silicone será prensado à parede, e isso fará com que os 3 mm inicialmente deixados para a ventilação sejam tampados, sendo necessário a utilização de um calço para evitar que isso aconteça.


Como calço costumo utilizar a fita dupla-face da Adere, a Adermax XB300, porque além de ter os 3 mm exatos de espessura, ela também ajuda na ancoragem do espelho. Como é vendida em duas larguras diferentes, você pode corta-la em pedaços de 20 mm e distribuir nos locais que você julgar mais interessantes.


*Se você for usar a fita dupla-face somente como calço, não há necessidade de remover o liner que vem com ela (película protetora). Mas caso pretenda utiliza-la como ancoragem, é preciso remove-lo.



TEMPO DE CURA DO SELANTE OU ADESIVO:

A ancoragem se refere aos apoios que usamos para escorar o espelho e que o deixam no lugar até a cura do silicone. E uma pergunta que costumamos receber a respeito desse assunto é sobre o tempo de ancoragem. Você sabe com quanto tempo pode tirar as escoras do espelho?


Todo tipo de adesivo ou selante, seja de silicone, MS Polymer ou poliuretano, curam através do contato com o ar. E geralmente, as informações disponibilizadas pelo mercado atendem a ensaios realizados a uma temperatura de 25°e umidade relativa do ar em 50%. Entretanto, em algumas épocas no nosso país, a umidade relativa do ar está bem abaixo desse número. Se considerarmos uma determinada época na qual a umidade está em 25%, por exemplo, e se considerarmos que o silicone ou selante demora em torno de 1 dia para curar 2 mm, com a umidade a 50%, sabemos que agora ele demorará 2 dias para curar. Ou seja, o dobro!


Fonte: Jornal Nacional (2017)


Por isso não há um valor exato do tempo de cura, já que isso depende de vários fatores. Mas para não te deixar sem nenhuma referência, realizei uma pesquisa com várias empresas fornecedoras e especialistas nesse tipo de produto. Após a coleta de informações, cheguei a conclusão de que o ideal é remover as escoras após 12 horas!



USO E APLICAÇÃO:

Uma questão que costumam fazer é sobre o por que do silicone ter que ser aplicado na forma de cordões verticais. O primeiro motivo é que essa prática permite a ventilação, pois se aplicamos horizontalmente, esses cordões formam barreiras que não deixarão o fluxo de ar passar. O segundo motivo é que se o silicone for aplicado na forma de "bolas", pode acabar curando nas bordas mas não no interior, já que com as bordas secas, o ar fica impossibilitado de circular na parte de dentro.



Outra pergunta é quanto à questão da espessura do cordão. Lembra que eu disse que se você você fizer um filete de 10 cm de comprimento por 10 mm de largura e 3 mm de espessura, ele suporta 1kg de espelho? Então. Costumam me peguntar como fazer para que esse filete consiga 10 mm de área de contato, por exemplo. No vídeo fizemos alguns testes e demonstramos como fica.


Mas vale lembrar que na maioria das vezes o nosso substrato nunca é plano como o vidro, pois contém certas irregularidades que fazem um maior consumo de silicone. Aconselho fazer um corte no bico de 45°, assim é possível que o filete de selante ou silicone tenha de 6 a 7 mm de diâmetro, chegando a uma área de contato de 10 a 12 mm.




Não se esqueça: o barato sai caro! Selantes baratos te dão prejuízos a longo prazo! E arcar com esses problemas é sua responsabilidade como profissional!



Espero que tenha gostado desse conteúdo. Até a próxima!